Search
  • Isabel Arruda

O amor


Esse rapaz ai da foto não gosta muito de aparecer. É dos bastidores. Da manutenção. Do fazer acontecer enquanto eu entretenho crianças.


Quando nos conhecemos eu usava basicamente all star e short jeans.

Ele não gostava de domingos.


De bar em bar íamos até a noite cair.

Tínhamos sede de folia e carnaval, que começava na sexta e só descansava na quarta de cinzas, quando prometíamos fazer tudo de novo no próximo ano.

Nando Reis embalava o romance.


Teva aquela vez que bati na traseira do carro dele indo pro samba. E teve também aquela vez que saí correndo e pulei nas costas dele. Só esqueci de avisar. E não reparei que era uma ladeira- de chão de paralelepípedo. Resultado?!

Os dois embolados no chão e um dente quebrado.

O dele, não o meu.

Ufa.

Acho que ali ele percebeu que aquele romance ia dar em casamento.


Aos poucos os bares foram perdendo espaço e o netflix ganhando mais atenção. Os recadinhos no para brisa do carro foram substituídos pela lista de compras do mercado.


Aquela parceria inabalável foi estremecida.

Passamos a nos desentender quando os filhos nasceram e quando migramos. Por um momento, até achei que nossos barcos estavam navegando, desgovernados, por rotas distintas, mas era apenas uma correnteza mais forte e que nos traria novamente - mais fortes e sábios - para o mesmo porto.


Hoje, romântico mesmo é quando ele diz “ deixa que eu boto ele pra dormir”, ou então “pode ir tranquila que aqui esta tudo certo”.


E o amor não é mais aquela intensidade de grandes atos e sim de simples cuidados.


No gatorade que ele coloca na geladeira porque sabe que quando eu chego da corrida, amo tomar gelado.

No café que eu deixo pronto na noite anterior, já com a sua xícara do lado.

Na banana do mercado, que eu esqueço de colocar na lista, mas ele sabe que não vivo sem.

No tempo a mais no parquinho com as crianças para que ele possa ter um tempo em silêncio em casa.

No brinde de vinho de todas as sextas-feiras, por mais uma semana que escolhemos estar juntos.


Os sonhos vão se transformando, assim como nós. Mas nunca deixamos de sonhar.


Hoje, ele já gosta de domingos e eu aposentei a maioria dos meus all stars.

E seguimos juntos💓🌷

4 views0 comments

Recent Posts

See All